D.D Brasil Consultoria

O varejo crescerá em 2013?

A última década tem sido generosa com o varejo brasileiro, em especial aquele orientado para as faixas sociais que tiveram ganhos expressivos de renda, as famosas classes D e, principalmente, C. O gráfico abaixo foi preparado a partir de dados oficiais do IBGE. Tomando janeiro de 2003 como base (primeiro mês desta estatística produzida pelo Instituto), observa-se que o varejo cresceu a mais de 2 vezes o crescimento do PIB brasileiro até finais de 2011. Os dados para 2012 ainda não estão disponíveis mas os indicadores são de que o varejo cresceu bem mais do que os parcos 1% de expansão do produto nacional no ano que recém finda.

Desempenho varejo

Isso posto vem a mente duas perguntas:

  1. O varejo continuará crescendo acima da economia?
  2. E a economia crescerá?

Até alguns meses atrás, as opiniões eram otimistas e as respostas seriam invariavelmente, “sim” e “sim”. O próprio Banco Central divulgou um longo relatório de 42 páginas, assinado pelo seu presidente (em maio de 2012), sustentando com inúmeros gráficos e análises a conclusão de que a economia brasileira se aceleraria ao longo do ano. Tudo o que está escrito naquele documento de fato era verdade e aconteceu, exceto o crescimento econômico

http://www.bcb.gov.br/pec/appron/apres/Alexandre_Tombini_Perspectivas_Economia_Brasileira_21_05_2012.pdf

Esse otimismo se prolongou até outubro. De lá para cá as opiniões se tornaram bem mais céticas. Em recente encontro de economistas praticamente tudo foi colocado em dúvida, da capacidade do governo manter as taxas de juros baixas até uma eventual revalorização do real frente ao dólar.

http://brasileconomico.ig.com.br/noticias/ano-de-2013-sera-desafiador-para-o-bc-dizem-analistas_126191.html

A única certeza que se tem é que o país vive um cenário de grandes indefinições. O governo central vem adotando medidas corretas no que toca à gestão macro-econômica. No entanto, sua tendência a intervir pesadamente na economia, até mesmo quebrando contratos, gerou um enorme receio entre grandes investidores e empresas nacionais e estrangeiras. Onde há receio não há investimento

Neste país tudo muda da água para o vinho em questão de semanas. E fazer previsões econômicas no Brasil é atividade de alto risco. Quase sempre se erra. Para o empresário varejista, que não pode se dar o luxo de errar muito, conservadorismo é a palavra da vez, assim como o foi em janeiro de 2012. Crescer menos do que o possível mas garantir robustez financeira é muito mais inteligente do que arriscar dar saltos de faturamento confiando na sorte e nas promessas governamentais.

Aproveite o ano para consolidar o negócio, melhorar sua eficiência e gerar reservas. Se o cenário melhorar para 2014, você provavelmente estará melhor preparado para tirar proveito do mercado do que aquele que arriscar este ano.

A D.D é uma butique de consultoria voltada para assuntos gerenciais e estratégicos com 17 anos de experiência no mercado brasileiro. Nossa carteira de clientes inclui varejistas de grande e médio portes, bem como manufaturas e prestadoras de serviço

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 07/01/2013 por em Classe C, Consolidação, Economia, Estratégia, Mercado, Tendências.
%d blogueiros gostam disto: