D.D Consultoria de Negócios

Ética – Excelência – Inovação

Um novo modelo de consultoria

Consultoria tem sido a minha vida há 35 anos. Já prestei serviços no Brasil, alguns países da América Latina, EUA e África. Tive a oportunidade de atender dezenas de clientes europeus e asiáticos. Fui funcionário de multinacional, mantive um escritório independente por 20 anos e hoje minha consultoria está associada a um grupo europeu que tem uma filosofia de trabalho bastante diferente.

Empresas chamam consultores por diversas razões: opinião independente, resolver problemas excessivamente complexos, investigar o estado da arte, selecionar a melhor solução técnica, desenhar programas de mudança cultural, reestruturar a empresa, etc. Essas necessidades sempre existiram e continuarão a existir. Então porque as grandes consultorias tem sido  criticadas?

Há anos eu percebo que toda consultoria aplica apenas a solução que ela tem (a chamada “metodologia”) e muitas vezes o problema do cliente não é resolvido. Consultorias despendem muito tempo e energia desenvolvendo novas metodologias a partir do que elas entendem sejam as necessidades futuras do mercado. Qual mercado? o eixo norte: Europa – EUA. Os mesmos métodos são utilizados nos demais mercados na suposição que sejam igualmente adequados. Em minha opinião, não são.

8840141-CULTURE-Magnifying-glass-over-background-with-different-association-terms-Vector-illustration--Stock-VectorAspectos como o background cultural de cada país, suas relações sociais, os hábitos e costumes, a estrutura de poder na empresa ou até mesmo a forma como cada problema se manifesta muda substancialmente de um lugar para outro. No início dos anos 90 eu fiz um mestrado internacional em Boston. Minha classe tinha 66 pessoas vindas de 25 países. O método era case discussion. Era impressionante as visões completamente diferentes que cada aluno tinha do mesmo problema. Lembro de um caso onde para mim o problema era de processo. Um americano entendia que era uma falha nas regras de governança. Um nigeriano dizia que “obviamente” era falta de informação. E os orientais afirmavam convictamente que faltava um chefe que ditasse o que tinha de ser feito. Traga isso para a vida real e uma consultoria estaria tentando resolver o tal problema usando a mesma metodologia no mundo todo, independentemente de como a sociedade local o avalia.

jeitinho_brasileiroA América Latina tem traços culturais próprios. Somos sociedades tolerantes com a mentira o que faz com que desconfiemos das promessas. O latino não acredita no poder público e nem na justiça fazendo com as relações de confiança se sobreponham ao currículo profissional. A indisciplina e o desrespeito generalizado às regras são uma constante em nossa cultura, fazendo com que o improviso e as soluções paliativas se tornem parte do dia a dia. Brasileiros são interpretativos ao invés de literais. As regras não são aceitas da forma como estão escritas e sim entendidas de acordo com o código próprio de cada pessoa. Esse é o contexto que explica porque as metodologias consultivas estrangeiras, criadas para outro ambiente cultural e empresarial, tem sucesso limitado no nosso mundo corporativo

networkingA The European House – Ambrosetti, empresa com a qual nos associamos, tem uma filosofia de trabalho que a afasta desse modelo convencional. Primeiro por ser uma empresa latina. O ambiente cultural italiano é muito semelhante ao brasileiro, principalmente nos aspectos listados acima. A abordagem proposta pela Ambrosetti está perfeitamente alinhada a este padrão cultural e comportamental latino. O segundo aspecto é que o foco de toda atividade é o ser humano. O componente técnico obviamente não é desprezado mas há o reconhecimento de que competência técnica é mais fácil de se obter do que a capacidade de se gerenciar um universo humano cada vez mais multifacetado, díspar e específico de cada empresa e cada país. Um terceiro fator é a interessante percepção de que não se ensina gestão a líderes. Você os municia com boa e abundante informação e provê network de alto nível, a oportunidade dele expandir a rede de relacionamentos relevante para si e sua empresa. O restante o líder faz sozinho.

Esses três elementos mudam totalmente a natureza da relação cliente-consultor: ao invés do consultor provedor de soluções gerenciais temos as pessoas no centro dos holofotes e o consultor provendo condições para que elas resolvam seus próprios problemas, com um aporte apenas suplementar de recomendações e soluções técnicas.

Pela primeira vez em décadas eu sinto que disponho de uma forma realmente correta de ajudar as empresas e entidades que nos procuram a enfrentar seus desafios.

A D.D Consultoria é uma empresa com 21 anos de existência. Nossa carteira de clientes inclui empresas de médio e grande portes. Somos associados à The European House – Ambrosetti (www.ambrosetti.eu). Através da Ambrosetti oferecemos suporte consultivo no mundo todo além de um vasto portfolio de serviços em educação executiva, eventos corporativos e projetos a governo e empresas privadas. Consulte-nos em contato@dpontod.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 19/07/2016 por em Consultoria, Estratégia, Mercado.
%d blogueiros gostam disto: