D.D Consultoria de Negócios

Think Tank – Estratégia – Networking – Eventos

Nossas cidades despreparadas para uma população envelhecendo rapidamente

Durante muitos anos o Brasil se caracterizou como um país jovem, com população crescente e composta em larga medida por indivíduos com menos de 29 anos. Com o tempo, a taxa de natalidade caiu e a expectativa de vida aumentou, alterando substancialmente o formato da pirâmide etária. Pelo censo de 2010, da população de 190 milhões de brasileiros à época, 18,5 milhões já tinham mais de 60 anos. O IBGE calcula que essa população saltará para 30 milhões até 2025 (contra um total de 218 milhões) e 70 milhões até 2050 (contra um total de 226 milhões). Ou seja, a população de terceira idade passará de 10% da população em 2010 para 14% daqui a 8 anos e 31% em 2050. É fundamental que nossas cidades e nossa própria sociedade se preparem para lidar com uma população que envelhece rapidamente

Em muitos países desenvolvidos, principalmente naqueles onde a proporção de pessoas idosas sobre a população total já é superior a 30%, criou-se o conceito de cidade “aging friendly”. Isso significa que a cidade é pensada e adaptada para atender de modo adequado às necessidades da população envolvendo aspectos de:

  • Mobilidade: calçadas sem degraus e buracos, tempo maior de semáforos para travessia de ruas, vagas de estacionamento reservadas e maiores, cadeiras de roda disponíveis em várias partes da cidade e em edifícios públicos e comerciais, etc
  • Visualização: sinais públicos em fontes grandes, materiais de comunicação também em fontes grandes e cores adequadas, boas condições de iluminação
  • Atendimento médico: ambulâncias dedicadas, postos médicos sem escadas ou dificuldades de acesso, preparo da população em geral para atender idosos que passam mal nas ruas
  • Serviços públicos: o e-government é um grande avanço na eficiência do serviço público mas impõe um desafio sobre a população de idosos que tem menor familiaridade com tecnologia de informação.
  • Equipamentos residenciais: imóveis preparados para idosos não podem ter armários altos (que exijam escada), mobília com cantos vivos e fogões que permitam a liberação de gás. Precisam ter botões de emergência dispostos em vários locais, portas mais largas para permitir a passagem de andadores e cadeiras de rodas e banheiros com acessibilidade, dentre diversos outros requisitos
  • Entretenimento: conjunto de atividades culturais e de interação social disponíveis para pessoas de terceira idade, principalmente durante o dia

Em janeiro de 2011 o Brasil instituiu o Fundo do Idoso e autorizou a deduzir do imposto de renda devido pelas pessoas físicas e jurídicas as doações efetuadas aos respectivos fundos municipais, estaduais e nacional. O Fundo destina-se a financiar programas e ações que assegurem os direitos desse público, além de criar condições para promover a autonomia, integração e participação efetiva desse segmento na sociedade.

Nos últimos anos uma quantidade apreciável de capitais e cidades de médio porte constituíram seus fundos do idoso. Mas ainda resta um número bastante elevado de cidades médias e pequenas que poderiam se beneficiar desse instrumento legal e não o fazem. Mesmo com fundos criados, poucas empresas e pessoas físicas sabem que podem doar recursos de impostos devidos. Mesmo as que doam não tem das prefeituras uma boa prestação de contas que mostre como os recursos estão sendo usados

A D.D Ambrosetti uniu-se à ABRACS – Associação Brasileira do Cidadão Senior – para preparar um tutorial a ser distribuído gratuitamente a prefeituras, empresas privadas e demais interessados, sobre como se preparar para atender melhor às necessidades da população em processo de envelhecimento. O tutorial conterá sugestões para adaptação da infraestrutura pública e privada, serviços essenciais que atendam às necessidades desse segmento populacional e conterá uma relação de boas práticas internacionais nesse tema. Como parte do tutorial haverá um “guia prático de constituição do fundo do idoso” no plano municipal

O tutorial:

  • oferecerá um menu de boas práticas nacionais e internacionais
  • destacará os aspectos críticos que precisam ser levados em consideração quando a cidade começa a se planejar para lidar com a população idosa
  • apresentará um menu de sugestões de programas de inclusão do idoso na vida comunitária
  • Identificará a legislação e normatização atualmente existente sobre o tema
  • incluirá um guia prático sobre como as cidades podem constituir o fundo do idoso

O tutorial se transformará em um instrumento de referência e dará origem à diversos desdobramentos como workshops, fóruns de discussão, observatórios, indicadores, etc

O projeto está em fase inicial e precisa de suporte de patrocinador, a quem são oferecidas muitas vantagens. Solicite informações através do email contato@dpontod.com.br

A D.D Consultoria é uma empresa com 22 anos de existência. Nossa carteira de clientes inclui empresas de médio e grande portes. Somos associados à The European House – Ambrosetti (www.ambrosetti.eu). Através da Ambrosetti oferecemos suporte consultivo no mundo todo além de um vasto portfolio de serviços em educação executiva, eventos corporativos e projetos a governo e empresas privadas.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 08/05/2017 por em Consultoria, Estratégia, Governança, Tendências.
%d blogueiros gostam disto: